Banda do Rio Vermelho chega para fazer a festa do rádio

O projeto Banda do Rio Vermelho, idealizado pelo músico e produtor artístico Jonga Cunha, em parceria com a produtora Cidade da Música, apresenta uma proposta diferenciada e criativa no cenário cultural da Bahia. A ideia da BRV é evidenciar em suas apresentações a música da Bahia e do Brasil, com um verdadeiro mix de sucessos. Além de ser uma banda que não destacará artistas específicos e fixos, a BRV atuará a partir do primeiro semestre deste ano como uma oficina percussiva. A intenção é ensinar mulheres com e sem qualquer iniciação musical a tocar instrumentos de percussão. A princípio, seis delas serão convidadas a participar da BRV. “Acho lindo mulher tocando percussão e ainda tem uma quantidade pequena no mercado”, afirma Jonga. A oficina vai acontecer em shoppings da cidade.

O primeiro show da BRV será no dia 11 de janeiro, em frente à Igreja Bonfim, a partir das 13h. Na semana seguinte, dia 19, o Grupo tem mais uma apresentação marcada na capital baiana. Dessa vez será durante uma festa à fantasia aberta ao público, que acontecerá de forma inédita no bairro do Rio Vermelho, às 18h30. As duas apresentações serão gratuitas. No repertório, hits de artistas como Lulu Santos, Ivete Sangalo e Ana Carolina. Fazendo uma reverência às canções que ganham destaque nas rádios do País e que agradam todos os tipos de público.

A Banda do Rio Vermelho é um projeto livre, porém organizado e divertido. E a ideia é levar a música sem rótulos para todos os cantos do País com um time de músicos, que propositalmente não será fixo, sempre ensaiado e disposto a trabalhar com a alegria. Na BRV o artista principal é a música brasileira.

Foto: Divulgação

Léo Santana assina com a WorkShow

O cantor Léo Santana, um dos maiores nomes da música Brasileira atualmente, acaba de fechar contrato de empresariamento artístico com a WorkShow que, em parceria com a Salvador produções, vai gerir a carreira do cantor no país.

A WorkShow é uma das maiores empresas de gestão artísticos do Brasil e grande referência no meio musical. Seu casting conta com uma verdadeira constelação formada por Marília Mendonça, Maiara & Maraísa, Henrique & Juliano, Zé Neto & Cristiano, Gustavo Lima e agora Léo Santana, que entra para fortalecer o time de artistas.

Foto: Divulgação

Elba Ramalho realizou um pré-carnaval em Trancoso com Saulo, Felipe Pezzoni e Alinne Rosa no “Elba Convida”

A cantora Elba Ramalho deu o grito de carnaval na madrugada desta quinta-feira (4), após os festejos de fim de ano. O Cafe de la Musique Trancoso, onde sedia todos os anos o evento Elba Convida, deu o start com um time de cantores como Alinne Rosa, Saulo e Felipe Pezzoni da banda Eva. Eles fizeram uma verdadeira previa para o carnaval no litoral sul da Bahia. Uma mistura de músicas, axe, forró e frevo não deixou ninguém parado e toda área vip com cadeiras foram retiradas, porque o público queria mesmo era dançar.
No final, Saulo e Felipe puxaram a música Minha Pequena Eva e no final do refrão, cantaram Nossa Grande Elbaaaa e o publico ovacionou o momento que foi lindo, divertido e emocionante.
 
A próxima edição do Elba Convida, está marcada para o próximo  dia 06 de Janeiro, com a participação dos convidados Robera Sá, Thiago Abravanel, Mariana Aydar e Toni Garrido, no Cafe De La Musique em Trancoso, na Praia dos Coqueiros.
Fotos: Fred Pontes/Divulgação

Leandro Luther lança seu primeiro CD

Conhecido no mercado musical com suas composições já regravadas por nomes de peso, como Olodum, Margareth Menezes, Harmonia do Samba, Araketu, Jú Moraes, Bom Balanço, Cheiro de Amor, Pierre Onássis, É O Tchan, dentre outros e também por seu trabalho como dançarino, backing vocal e coreógrafo, o cantor baiano Leandro Luther lança seu primeiro CD autoral. A apresentação será no dia 13 de janeiro (sábado) durante um passeio de escuna para as ilhas de Loreto, Paramana e Ponta de Nossa Senhora. No repertório, o público vai dançar e se divertir ao som da mistura do samba funk com o reggae, sambalanço, o afropop e o swing percussivo característico da Bahia. O álbum conta com 10 faixas e tem direção artística do próprio cantor.

Foto: Divulgação

Réveillon do Batuba Beach Sound teve Saulo e Henrique e Juliano

O Réveillon Batuba Beach Sound, em Ilhéus, no Sul da Bahia, foi um sucesso.  Na hora da virada, um espetáculo de fogos e shows de Saulo e da dupla Henrique & Juliano.

Foram três dias de festa. No dia 6, o Batuba encerra a temporada de “Reveillon” comSimone & Simaria, Alok, Papazoni e Cleber e Cauã.

Os Ingressos estão a venda no site www.batubabeach.com.br.

Fotos: Divulgação

Daniela Mercury abre espaço para alegria no Festival Virada Salvador

No primeiro dia de 2018, a alegria foi a principal moeda de troca entre Daniela Mercury e o público, que está longe de “arredar o pé” da arena que leva o nome da cantora, montada na Orla da Boca do Rio, para a celebração da chegada de 2018, no Festival Virada Salvador. Com o novo sucesso “Banzeiro”, a rainha do axé não deixou o povo parar de dançar, com o samba-reggae tradicional, acrescido de todo o caldo cultural que marca as três décadas de arteira da artista, em mais uma edição do projeto Pôr do Som.

Sem tirar os olhos do palco, a aposentada Nilzete Marques, 68, diz amar a música da cantora, mas afirma que a maior estrela sob os holofotes é Claudio Henrique, seu neto, que compõe o time de percussionistas do grupo Quabales, que acompanha a madrinha da arena durante a apresentação desta noite. “Ele está lá em cima e sempre de olho na gente. É um ótimo menino e tem muito talento artístico. É a estrela da família”, afirma a vovó coruja.

Tocando galope, reggae, funk, samba, rock e axé, Daniela confirmou no palco o motivo de Salvador ter sido reconhecida como Cidade da Música pela Unesco. Passeando de Carmen Miranda a Caetano, Gil e Brown, a artista saudou a terra natal, os orixás e brindou a chegada do ano novo pedindo paz a Oxalá, avisando que já já decola a máquina elétrica de Dodô e Osmar.

Pela primeira vez em Salvador e estreando na pipoca de Daniela, a estudante carioca Ana Cláudia Fidalgo de Moura, 53, chegou para o réveillon e só retorna à Belo Horizonte (MG), onde cursa Letras, depois do Carnaval. “Quero aproveitar toda essa energia de vocês. Já curto os quatro dias de festa e acho que estou preparada para a maratona do Carnaval. Só vou embora depois da folia de Momo, com os pés calejados e a alma lavada”, diz.

Há 19 anos, a cantora mantém o projeto Pôr do Som. Neste ano, com dois convidados especiais: Balé Folclórico e a banda Quabales. “Esse é um espaço conquistado com muito esforço. São 19 anos, e alguns foram muito difíceis de realizar, mas conseguimos sempre dando um jeitinho de fazer esse show, que já virou uma tradição em nossa cidade. É um show especial, preparado para esse momento, para que possamos nos reconectar com nossas origens para começar o ano cheio de axé e energia positiva”, observa a cantora.

Fotos: Divulgação/Secom Pref.Salvador

Afropop de Margareth celebra chegada de 2018 no Festival Virada Salvador

 


“Margareth Menezes é a essência de nossa música. Traz a tradição e a modernidade agregada à sua arte, e é isso que faz de nossa cultura algo tão plural”. As palavras, ditas em meio aos passos da versão de Mama África, de Chico César, puxada pela cantora, são de Mara Lage. Há dois dias na capital baiana, a empresária de 41 anos rodou cerca de 300 quilômetros desde Gandu, no Sul da Bahia, e não vai arredar o pé da areia até fim da noite desta segunda-feira (1º), quinto e último dia do Festival Virada Salvador 2018.

“Cheguei para acompanhar a virada e, no primeiro dia do ano, poder brindar a chegada de 2018 com Margareth é tudo de bom. Só me traz boas energias”, completa a ganduense, que veio à festa com os familiares residentes na capital baiana.

 

Numa sequência enraizada no reggae brasileiro e em sucessos de Bob Marley, Chico César e no repertório próprio da artista, Margareth botou o povo pra dançar com seu afropop, que foi capaz de encantar o rockstar inglês David Byrne (Talking Heads), que levou a música da soteropolitana da Península Itapagipana para o mundo. De vermelho em referência a Xangô, orixá regente do novo ano, segundo as religiões de matriz africana, a artista apresentou seu novo sucesso, Todo Mundo Alegre, obtendo boa receptividade da plateia, para deixar “todo mundo alegre, leve, cheio de alegria”, como cita na canção.

Em seguida, o público foi ao delírio com a interpretação de “Me abraça e me beija”, de Lazzo Marumbi, sucesso também na interpretação singular de Maga. No palco, a cantora teve a companhia da bateria do Bloco Muzenza, que comandou o cortejo no chão da Arena Daniela Mercury, no segundo dia do Festival Virada Salvador, na sexta-feira (29), para dar boas-vindas ao novo ano para soteropolitanos e turistas presentes à Orla da Boca do Rio neste Dia de Todos-os-Santos.

Arriscando passos que simulavam gestos de capoeira, Margareth conclamou a galera a dar uma volta na arena com o hit Dandalunda, composto especialmente para ela por Carlinhos Brown. “Bem pertinho da entrada do gueto. Um terreiro de Angola e Ketu. Brasa acesa na pisada do frevo, Dandalunda…”, cantava a multidão, chamando em seguida pelo nome da cantora, que completa 30 anos de carreira neste verão.

Fotos: Divulgação/Pref.Salvador

Danniel Vieira abre último dia do Festival Virada Salvador

O sertanejo baiano Danniel Vieira abriu o último dia do Festival Virada Salvador, nesta segunda-feira (1º). O sol das 15h não intimidou a galera que foi ao delírio já nos primeiros acordes, na “pegada do gordinho”. “Hoje é o dia da pluralidade, dia de todos os ritmos, dia do povo de Salvador”, disse o cantor.

Emocionado, o público cantava todas as músicas interpretadas por Dainniel, que fez questão de fazer uma foto com a plateia. “Chegue mais perto para fazermos uma foto. Todos com as mãos para cima”, disse enquanto o fotógrafo se posicionava para pegar o público da Arena Daniela Mercury.

Baiano, Danniel Vieira encerrou o show com duas músicas, que segundo ele, são hinos da música brasileira: “Evidências”, composta por José Augusto e Paulo Sérgio Valle, na década de 90, e “We Are Carnaval”, de Nizan Guanaes. “Eu sou o sertanejo baiano, por isso vamos colocar uma sanfona aí”, disse, enquanto cantava We Are Carnaval, um dos ícones da axé music.

Fotos: Divulgação/Secom Pref.Salvador 

Ivete celebra chegada de 2018 na Arena Daniela Mercury

Em sua última apresentação antes de se dedicar integralmente à gravidez e ao cuidado das gêmeas, Ivete Sangalo comandou com maestria a contagem regressiva para o início de 2018, na Arena Daniela Mercury. Deslumbrante em uma saia branca e Cropped prata brilhante, ela desejou a todos um ano de muito respeito, muita música, alegria, felicidade, saúde e uma vida de paz e de felicidade. “O homem é quem tem o poder de transformar. Se somos nós os homens, então vamos mudar hoje”, disse.

A rainha da Axé Music abriu a apresentação poucos minutos antes da passagem de ano, com as músicas “Cheguei pra te amar” e “O farol”. Projeções de uma mensagem especial da Prefeitura de Salvador desejou a todos paz, respeito, fé e exaltou a alegria única dos baianos, na hora da virada. “Que o nosso Senhor do Bonfim leve alegria para todos os cantos do planeta e que a alegria, enfim, prevaleça”, finalizou a mensagem para uma arena lotada de soteropolitanos e turistas.

Um show de cores iluminou o céu da Orla da Boca do Rio, por pouco mais de 15 minutos, oriundos de 11 toneladas de fogos espalhados por 1.800 pontos de detonação, alguns deles próximos à arena. Nos minutos iniciais do ano, Ivete tocou novamente o barco com as músicas “Arerê” e “Tô na rua”. Mesmo sentada, por causa do peso da barriga, Veveta balançou uma multidão que pulava, dançava e erguia os braços numa demonstração de um misto de celebração, alegria e emoção.

Fotos: Divulgação/Secom Pref.Salvador 

Romantismo de Jorge e Mateus contagiou o público no Festival Virada Salvador

O romantismo de Jorge e Mateus arrancou gritos e lágrimas do público feminino do Festival Virada Salvador na noite do dia 31. Choveram cartazes para a dupla sertaneja, que recentemente registrou seu mais novo trabalho, “Terra sem CEP”, oitavo DVD de carreira. Apesar do novo trabalho, foram as canções mais antigas as mais tocadas, entre elas “Vou voando”, “Se o amor tiver lugar” e “O que é que tem”.

Um dos momentos marcantes foi a apresentação da música “Eu sosseguei”, lançada em 2016, e disparada nas rádios do país. Vários casais da festa aproveitaram a balada romântica para dançar agarradinhos. Dentre eles, um em especial: Diana Pontes, de 18 anos, e Letícia Nascimento, 21, que estão comemorando dois anos e quatro meses de relacionamento e se conheceram ouvindo a música “Pra sempre com você”. “Eu amo muito eles dois”, disse Letícia, chorando.

Em atenção aos chamados desesperados das fãs, Jorge leu cada cartaz suspenso e interagiu com o público observando, inclusive, as cores de roupa mais presentes na festa. “Tem muita gente de branco, mas tem de vermelho também. É para atrair paixão?”, brincou, e acrescentou um elogio ao público: “Que galera linda”. A dupla também presenteou a plateia com várias toalhinhas, algumas delas utilizadas para enxugar o suor durante a apresentação.

Fotos: Divulgação/Secom Pref.Salvador