Deezer celebra o mês da Consciência Negra com canal exclusivo

MÚSICA


O
Dia da Consciência Negra no Brasil é comemorado em 20 de novembro. A data homenageia Zumbi de Palmares, pernambucano que nasceu “livre” e foi escravizado ainda criança, e que fugiu para lutar contra a escravidão. É um dia de resistência e reflexão em um país que diz não ser racista. Será?

Para celebrar o mês e relembrar a importância da data, a Deezer, plataforma de streaming global de música, criou o canal ‘Mês da Consciência Negra’. Exclusiva e em destaque na home da plataforma durante todo novembro, a seleção traz somente conteúdo de artistas e produtores negros para mostrar que no som, papo de música é papo de luta.

Playlists feitas por artistas chamam a atenção: a censura e ditadura ‘Não Recomendada’ é exaltada por Elza Soares em sua playlist; ‘Tomando de Assalto’, feita por Djonga mostra de quais fontes o rapper bebe; e como “ideia boa não acontece a toa”, ‘Viver é Dever’mostra todas as inspirações de Djavan.

Outras playlists curadas por artistas que valem a pena conferir são: ‘Lugar Comum’, por Péricles, ‘Reis e Rainhas’, por Rashid, ‘No Mundo de Brown’, por Carlinhos Brown, ‘Meu Vogue é Gueto’, por Karol Conka, ‘Botei Fé’, por Thiaguinho, ‘Minha Gente’, por Martinho da Vila, ‘Vida Sonhada’, por Mumuzinho, entre muitas outras.

O funk, samba, rap, blues, pop, incluindo o ‘Black Gospel’, são todos da ‘MPB – Música Preta Brasileira’. E, como fala a descrição da playlist ‘A Coisa Tá Preta’, “se te disserem que a coisa tá preta, a coisa tá boa, pode acreditar!”

“MPB também é Música Preta Brasileira! Com muito carinho e orgulho preparamos esse canal para nossos usuários. Com curadoria do nosso editor Vithor Reis e um time de parceiros negros que frequentam e fazem parte do DNA do que temos de melhor na nossa música. O canal ficou tão bacana que o nosso desejo é continuar com ele ativo na Deezer ao longo do ano.”, afirma Gabriel Lupi, Head de Conteúdo da Deezer no Basil.

Dentro do canal, todos os dias haverá diferentes indicações de podcasts, álbuns, playlists curadas por editores e artistas. E tem muita novidade bacana vindo por aí: conteúdos originais Deezer inéditos – como Faixa a Faixa (playlist comentada pelos próprios artistas), Essenciais (podcast apresentado por Roberta Martinelli com os Essenciais da Música Brasileira) e Sessions (músicas em versões inéditas) – também serão focados na causa.

“A proposta do canal é ser uma homenagem para todos artistas e produtores de conteúdo negros do Brasil. A ideia é também promover músicas e álbuns de diversas gerações passando por variados artistas e gêneros, realmente queremos relembrar e celebrar essas pessoas que movimentaram a história musical do país. Além disso o canal traz uma reflexão para gêneros musicais que praticamente não possuem artistas negros no mercado nacional, como o Sertanejo e Rock.”, finaliza Vithor Reis, Editor de Música da Deezer no Brasil.

Já sabe que ‘Referência É Tudo’, né? Então, se você quer saber o que é ‘SobreVIVER’ e não quer perder ‘Uma Playlist Zica’ e um ‘Som de Preto’, ou quem sabe, ‘Todas as Cores’– feito por artistas negros LGBTQ+, e empoderado em ‘As Pretas no Topo!’ e na ‘Nova Música Negra’, clique aqui para ouvir esse conteúdo.