Margareth Menezes encerra temporada no Mercado Iaô com Caetano Veloso

MÚSICA

O sol brilhou na manhã e tarde no Mercado Iaô, mas foi se escondendo para a lua cheia brilhar junto com MargarethMenezes no encerramento do evento mais concorrido do verão de Salvador. Um domingo de Fábrica Cultural lotada, com milhares de pessoas aplaudindo a dona da casa e seus convidados Caetano Veloso,Alexandre Leão e o samba reggae do Muzenza.

Ao se despedir da temporada, Margareth mostrou que está pronta para o Carnaval, com uma performance visceral e eletrizante. A nova música Canto da Massajá está na boca do povo, que a elegeu um dos hits da folia, seguindo a mesma trilha de sucesso de Faraó, Elegibô, Selei, Alegria da Cidade e Dandalunda, entre outras.

 

Uma das participações mais especiais da temporada, Caetano Veloso começou com Lua de São Jorge, homenageando a lua que brilhava entre a chaminé e o telhado da Fábrica Cultural. “Este lugar é muito lindo e Margareth é muito linda”, disse. O santo-amarense seguiu cantando Odara, Sampa, Reconvexo e encerrou, junto com Margareth, na explosiva Tieta. Margareth, que chegou ao palco escoltada pelo grupo de samba Fogueirão, comandou a festa por quase três horas, intercalando música com homenagem de seu fã clube e recebeu a garotinha Manu, com uma performance surpreendente.

Durante toda a temporada, Margareth falou para o público sobre a importância da Fábrica Cultural, uma área de 7.000 m², está em posse definitiva da ONG, presidida por ela,  na Ribeira. É nesta área, que já abrigou a fábrica de linhos Nossa Senhora de Fátima, que o Mercado Iaô passa a se instalar em definitivo como espaço multicultural. A ONG tem como proposta principal impulsionar negócios e   fomentar a cultura, principalmente na Península de Itapagipe, através do incentivo ao empreendedorismo e do resgate da identidade cultural da Bahia.

“Além de shows e eventos, queremos promover cursos de teatro, de técnicos na área cultural e outras formações. O nosso objetivo na Fábrica Cultura não é atender apenas as comunidades da Cidade Baixa, mas de toda Salvador e região metropolitana”, revela Margareth Menezes.

Quem chegou cedo, aproveitou para fazer comprinhas no Galpão das Artes, com quase 100 artesãos apresentando produtos criativos em moda, acessórios, decoração e utilitário. No Espaço Gastronômico, barraquinhas e food trucks disputaram a preferência do público, que também pode conferir as apresentações do Sarauzinho da Calu, Orquestra de Berimbau, Samba Zig, Batekoo e Samba Fogueirão.

Fotos: Divulgação