Nelson Rufino comemora 55 anos de samba na Concha Acústica com convidados especiais

SHOW

Reconhecido no meio musical como Mestre do Samba, o cantor Nelson Rufino, baiano de nascimento e sambista por natureza, chega aos 55 anos de Samba cheio de ginga e sofisticação herdadas do ritmo que conta sua história de sucessos.

    Compositor de clássicos como “Verdade”, “Todo menino é um rei”, “Nas águas de Amaralina”, “O dono da dor” e “Sou de Arerê”, no dia 11 de setembro, véspera do seu aniversário de 77 anos, Rufino pisa no palco da Concha Acústica do TCA  acompanhado da banda carioca Bossa do Samba e rodeado de amigos.

    Para a noite festiva, Rufino escalou um time de bambas como Jorge Aragão, Dudu Nobre, Péricles, Diogo Nogueira, Xande de Pilares, Maria Rita, somando a chamada “prata da casa” formada por Edil Pacheco, Roberto Mendes, Walmir Lima, Batifun, Márcia Short, Tonho Matéria, Jau, Aloísio Menezes, Fora da Mídia, Viva Vós, Bambeia, Movimento, Gal do Beco, Pedaço de Cada Um, Neto Bala, Mônica San Galo e Ilê Aiyê.

    “Quando se pensa em aniversário, a primeira coisa que vem à mente é bolo, mas o samba mora em mim, a comemoração tinha que ser roda de samba, não poderia ser diferente”, disse Rufino, que preparou um repertório para cantar junto e separado com seus convidados. “São muitas canções. Algumas que se eu não cantar, o público pede, a exemplo de “Passagens”, “Tempo Ê”, “Vazio (Está Faltando Uma Coisa Em Mim)”, “Pago Pra Ver” e “Uma Prova de Amor” que ficaram conhecidos nas vozes de Roberto Ribeiro e Zeca Pagodinho”, acrescentou.