Confira a programação da ’16ª Parada Gay da Bahia’; Valesca Popozuda e Karol Conka estão entre as atrações

A ’16ª Parada Gay da Bahia’ acontece neste domingo (10), em Salvador. O evento terá início a partir das 11h, no Campo Grande com a apresentação de transformistas de Salvador. De acordo com o site ‘Dois Terços’, também no mesmo bairro e horário, o Foyer do Teatro Castro Alves será ocupado para uma coletiva de imprensa, onde será feito um balanço da ‘VI Semana da Diversidade LGBT’.

A abertura oficial acontece às 15h30, com execução do hino nacional cantado por Márcia Short. Terá também a coroação das madrinhas. O cortejo seguirá com sete trios que seguirão o trajeto: Campo Grande, Av. Sete de Setembro, Mercês, Piedade, São Pedro e Praça Castro Alves com retorno pela Rua Carlos Gomes, Senador Costa Pinto, Aflitos até o Campo Grande. O evento tem previsão de encerramento, às 20h.

Confira quem estará em cada trio

1. Trio Oficial Porradão
Atrações: DJ Oliver, Mary Jane Back, Spadina Banks, Tia Má e Flora Gil

2. Arco-Íris Trans: inclusão social, trabalho, renda e moradia
Atrações: DJ Juba Moreno e Drags

3. Freedom /Liberdade!
Atrações: DJ’s da Boate Tropical

4. UBER Festa Chá da Alice
Atrações: Karol Conka, Valesca Popozuda e Lorena Simpson

5. Coletivo Diadorim
Atrações: DJs e Drags

6. CUT Viver nossa cultura, música e entretenimento cultural da diversidade
Atrações: DJs e Drags

7. Dion Santiago 

Confira quem estará no Palco da Diversidade

Bonecas pretas: Alehandra Dellavega, Brendah Barbieirie, Dandara Byonce, Ferah Sunshine, Suzy D’Costa, Sasha Heels e Yanna Stefens

Coletivo Haus of Gloom: Drags Aimée Lumiére, Aleera Cox, Amanda Moreno, Mary Jane Beck, Petra Perón, Spadina Banks e Gotham Waldorf

As Monxtras

Suzzi D’Costa

Duelo Bate Cabelo: Nathalya Stryker, Ludmilla Stryker, Eyshilla Borboleta e Fabiane Galvão

Scarleth Sangalo

Grupo Move Femme: Yuri Ferreira , Marcos Silva, Deko Alves, Ramsés Zaid, Lucas Dancer e Lucas Vasconcelos

Cida Martinez (15h)

Gerônimo e Banda Montserrat (17h)

Cortejo Afro (19h)

Daniela Mercury arrasta multidão em trio elétrico em São Paulo

A cantora Daniela Mercury arrastou uma multidão durante a  21ª edição da Parada do Orgulho LGBT, em São Paulo. Escolhida para se apresentar no trio elétrico da marca Skol, a baiana chamou atenção, pelo look estiloso. Feliz e sorridente, a artista cantou vários dos principais sucessos que fazem parte de sua carreira, e também trocou vários beijos com a mulher, Malu Verçosa, que também estava no trio. 

Fotos: AG News

Cervejaria leva Daniela Mercury para celebrar a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo

A cerveja Skol, parceira da Parada LGBT de São Paulo pelo segundo ano seguido, terá Daniela Mercury como destaque do seu trio elétrico no evento do dia 18 de junho, na Avenida Paulista. A cantora, que tem como bandeira o respeito e a causa LGBT, será uma das principais atrações do evento.

“Devemos cada vez mais ostentar a força da comunidade LGBT e agir contra a violência e a favor dos direitos humanos. Estou muito feliz de comandar este trio em uma das maiores paradas LGBT do mundo. Mais que uma celebração, a Parada de Orgulho LGBT é uma atitude política”, disse a cantora baiana.

“Para a Skol, o diálogo e a conscientização são passos importantes para se chegar ao respeito e por isso é tão importante para nós apoiarmos a Parada do Orgulho LGBT”, completa Maria Fernanda de Albuquerque, diretora de marketing da cervejaria.

O trio será composto por duas carretas acopladas e será um dos maiores no evento. O carro vai a agitar o público com a mestre de cerimônias Paullete Pink, umas das drag queens mais icônicas do Brasil. Daniela fará o seu show na sequência e o DJ Adipe encerrará o percurso.

A agência BFerraz é responsável pelo planejamento, criação e execução das ações da marca para o evento.

Além do trio, a cerveja terá uma edição especial de sua lata de 269 ml que terá sua conhecida seta-logo vestida com as cores da bandeira LGBT. Parte da venda será destinada para a Casa 1, uma local de acolhida e centro cultural para jovens expulsos de suas casas por sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Foto: Célia Santos/ Divulgação